segunda-feira, 12 de novembro de 2012

1º Encontro Nacional de Pesquisa e Práticas em Educacionais (ENAPPE)


O 1º Encontro Nacional de Pesquisa e Práticas em Educacionais (1° ENAPPE), promovido pelo Centro de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), que teve como temática Diversidade e Qualidade em Educação, ocorreu no período 07 a 09 de novembro, e contou com a participação das bolsistas do Grupo PET/Pedagogia, além de Professor Doutor da Unidade Acadêmica de Educação (UAEd) do Curso de Pedagogia, da UFCG.
Na programação do evento conteve uma conferência de abertura intitulada Diversidade e Qualidade em Educação, mesas-redondas dentro de diversas áreas temáticas tais quais: Formação Docente, Diversidade, Inclusão e Contextos Educativos, Políticas e Gestão da Educação, Linguagens e Práticas Educativas, e Fundamentos da Educação. Contou ainda com simpósios temáticos, sessões de cinema e educação, sessões comemorativas, minicursos, sessão de pôsteres e lançamento de livros.
Dentre uma das mesas-redondas do evento das quais as PETianas participaram e que merece destaque, é a mesa intitulada Política educacional brasileira: desafios contemporâneos que ocorreu no primeiro dia do evento, a qual teve como coordenador Gilmar Barbosa Guedes, ex-coordenador do Curso de Pedagogia, e os palestrantes, Alice Mirian Happy Botler (UFPE), Marcelo Soares Pereira da Silva (UFU) e Antonio Lisboa Sá de Leitão (UFCG\ PPGEd\UFRN). Este último iniciou sua fala fazendo um resgate histórico sobre o PNE 2001-2010, ressaltando que nem 30 % de suas metas foram alcançadas, e que ficamos a quem do havia sido definido, assim estamos distantes do cumprimento, uma vez que o acumulo de esforços, no cenário internacional como um todo, são para gerir as crises e salvar a política econômica, deixando de lado a educação, a análise que o palestrante realiza, é que deve ser feito um estudo da “política pela política”.

Palestrantes da mesa redonda: "Política educacional brasileira: desafios contemporâneos"

O professor Marcelo Soares por sua vez, abordou o PNE, focalizando suas metas e estratégias no espaço de confronto entre o público e o privado, afirmando que o Estado investe financeiramente no setor privado, mas isto não modifica a situação precária dos serviços públicos e que há a necessidade de investimento em educação com foco na luta pelos 10% do PIB. Segundo ele, o novo PNE nasce sem apontar novos futuros, apenas reafirma o presente.
Já a professora Alice Botler trata da política educacional versus gestão escolar, questionando se a relação é de contradição ou de complementaridade, já que, para ela, a escola não é uma indústria de soluções, necessitando assim das políticas públicas, todavia, estas últimas não podem ter toda a centralidade. Dessa forma, a escola precisa ser autônoma, e precisa ser democrática, pois as crianças estão tendo acesso às escolas, porém, não é oferecida uma formação que torne os sujeitos ativos dentro da sociedade.

PETianas com o coordenador da mesa redonda citada acima, Gilmar Barbosa Guedes, ex-coordenador do Curso de Pedagogia (UFCG)

No segundo foram apresentados nos Simpósios Temáticos, artigos produzidos no âmbito das disciplinas do curso e pelo PET-Pedagogia, são estes: Estudo do componente curricular Estágio Supervisionado do Curso de Pedagogia da Universidade Federal de Campina Grande, A reforma currícular e o Estágio Supervisionado do Curso de Pedagogia da Universidade Federal de Campina Grande e As implicações das correntes neoliberais na escola pública: o neoprodutivismo e suas variantes e a implantação da lógica da competitividade na educação. Esse momento foi de grande relevância, porque propiciou discussões e trocas de experiências a partir dos demais estudos apresentados e discutidos.

PETianas no Centro de Educação (UFRN)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antonio Gramsci

Todo Estado é uma ditadura.