sexta-feira, 27 de abril de 2012

Manipulação midiática


                                                                    Lavagem Celebral?
                                                                     O que você acha?
                                                                           Comente !






                                                                                                                                                Fonte



Postado por:
Laís Venâncio de Melo
Juliana Vasconcelos de Andrade
Graduandas de Licenciatura em Pedagogia - UFCG
Bolsistas do Programa de Educação Tutorial - PET












Literatura de Cordel será reconhecida Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) promoveu, nos dias 9 e 10 de abril, na sede da Fundação Casa de Rui Barbosa, no Rio de Janeiro, reunião técnica sobre o tema “Literatura de Cordel”, da qual participaram especialistas e instituições ligadas ao assunto.

Em 2010, o Iphan recebeu o pedido de Registro da Literatura de Cordel como patrimônio cultural de natureza imaterial, apresentado pela a Academia Brasileira de Literatura de Cordel – ABLC, pedido este julgado pertinente pelo Departamento de Patrimônio Imaterial do Iphan e pela Câmara de Patrimônio Imaterial do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural. A partir desse aval, o processo de Registro encontra-se apto para passar à fase de instrução técnica, quando são produzidas e sistematizadas informações sobre o bem cultural, com vistas ao seu reconhecimento e titulação como Patrimônio Cultural do Brasil.

Durante a reunião técnica realizada, discutiu-se e delimitou-se o objeto do Registro, seu território, os bens culturais associados, entre outros aspectos significativos, assim como se definiu o plano de trabalho que irá orientar as pesquisas e demais atividades que se seguirão. Como proposições práticas resultantes da reunião, foi decidida a realização de mapeamento da documentação, instituições, especialistas, artistas e de contatos sobre o tema; a criação de uma rede de instituições detentoras de acervos; a consolidação de acervos e bibliografia temática; e o intercâmbio de folhetos de cordel entre as mesmas. Sugeriu-se, ainda, o encaminhamento de ações específicas com vistas ao tombamento dos acervos de folhetos no Brasil.

Encontro Regionais

Para a instrução do processo de Registro da Literatura de Cordel, por sua vez, será dado início ao levantamento, pesquisa e documentação das formas orais e escritas relacionadas à mesma, tomando-se como base territorial cinco núcleos focais pré-definidos, abrangendo treze estados brasileiros. Estes polos abrigarão, ainda, encontros regionais ampliados sobre o tema do cordel, com os objetivos de informar os praticantes dessa arte e de seu universo associado sobre o processo de Registro em andamento, envolvê-los nos procedimentos exigidos, esclarecer sobre as consequências desse ato, além de articular parcerias. O primeiro encontro regional acontecerá ainda em 2012, na cidade de Campina Grande, Paraíba.


Postado por:
Meryglaucia Silva Azevedo
Graduanda do 7° Período em Pedagogia-UFCG
Bolsista do Programa de Educação Tutorial-PET


(Ascom-IPHAN-RJ)

terça-feira, 24 de abril de 2012

Paralisação nacional dos servidores públicos (24/04/12)


    Trabalhadores do serviço público de todo o país irão fazer uma paralisação massiva nesta quarta-feira (25), exigindo do governo federal a valorização de seus salários. No total, 31 entidades sindicais – entre elas a CTB – apoiam o movimento, que deve ser o primeiro passo de uma campanha de mobilização de toda a categoria.

       Para João Paulo Ribeiro, secretário do Trabalhador do Serviço Público da CTB, o Dia Nacional de Lutas marcado para esta quarta-feira (25) será um grande teste para a categoria. 

O tamanho da nossa vitória será o tamanho de nossa luta. As repartições serão fechadas em todo o país. Queremos inviabilizar que qualquer espaço público seja aberto. É um absurdo o que está acontecendo. O governo investe em diversas áreas, mas há três anos sequer conversa conosco. 
João Paulo Ribeiro


Postado por:
Laís Venâncio de Melo
Graduanda de Licenciatura em Pedagogia - UFCG
Bolsista do Programa de Educação Tutorial - PET

Professores da UFCG paralisarão as atividades no dia 25 de abril e já tem o indicativo de greve para o dia 15 de maio


              
 Os professores da UFCG vão paralisar suas atividades nesta quarta-feira (25/04) em todos os campus da instituição. O movimento é uma resposta à postura de intransigência do Governo Federal no processo de negociação da pauta específica da categoria e na pauta geral dos servidores públicos federal, na campanha salarial 2012, e já há o indicativo de greve para 15 de maio.
               Esta paralisação foi decidida na sexta-feira passada (13/04), durante uma assembleia geral da categoria, em Campina Grande. Os professores avaliam que sem ampliar a mobilização da categoria, realizar paralisações e aprovar um indicativo de greve, o Governo Federal não mudará sua postura diante das reivindicações destes, como o cumprimento do acordo emergencial assinado em 2011 entre o Ministério do Planejamento e Gestão e os professores, que estabeleceu um processo de negociação da reestruturação da carreira de professor federal, a incorporação de gratificações e uma reposição salarial de 4% que deveria começar a ser paga em março.
              A paralisação do dia 25 de abril foi convocada pelo Fórum Nacional das Entidades dos Servidores Públicos Federais, em defesa da pauta unificada dos SPF. Os professores da UFCG decidiram que a participação da categoria nesta paralisação deverá acontecer com a suspensão das aulas, realização de arrastões nos campus, como também de atividades de debate sobre a pauta local. 
Os servidores federais apresentaram ao Governo uma pauta unificada que em sete eixos básicos e um índice de reposição salarial de 22,08%, que inclui a inflação dos anos de 2010 e 2011 e mais a variação do Produto Interno Bruto neste período.



Fonte:http://guiacampina.uol.com.br/deoutrossites/guia/layout.php?id=154063





Postado por:
Jéssica Rodrigues de Queiroz
Graduanda do 7° período de Licenciatura em Pedagogia - UFCG
Bolsista do Programa de Educação Tutorial - PET

sábado, 21 de abril de 2012

SELEÇÃO PROBEX(2012) Projeto: A Pedagogia Institucional no combate ao bullying e violência escolar: valorizando os alunos com deficiência e transtornos globais do desenvolvimento



Sobre o projeto:
  •      Período de duração: de 02 de maio a 30 de dezembro de 2012;
  •            Inscrições: de 18 a 25 de abril na Unidade Acadêmica de Educação (Bloco AB);
  •       Documentos necessários para a inscrição: Xérox da identidade, xérox do CPF, histórico escolar e dados de conta bancária.

 Pré-requisitos:
  •          Alunas(os) do Curso de Pedagogia ou de qualquer outra Licenciatura da UFCG;
  •           Não ser aluna(o) do 1° período, nem pré-concluinte;
  •           Ter CRE superior ou igual a 7,0;
  •           Ter disponibilidade de 12 horas semanais.


Data e local da entrevista: 26/04/2012 as 9h30min, na sala da Professora Marta Helena Burity (Coordenadora do Projeto)

OBS: O texto para a entrevista (As contribuições da Pedagogia Institucional para a Educação Inclusiva) está disponível na Xérox do Júnior (Trailler Branco).





Anne Clark : Um exemplo de superação


Menina que nasceu sem as mãos vence concurso de caligrafia nos EUA

Anne Clark, de 7 anos, ganhou prêmio para estudantes com deficiência. Ela usa os braços para segurar o lápis e escrever.



A menina Anne Clark, estudante da primeira série da escola Wilson Christian Academy, em West Mifflin, na Pensilvânia, ganhou um concurso de caligrafia para estudantes com deficência de escolas dos Estados Unidos. Anne, de 7 anos, nasceu sem as mãos e prende o lápis entre os braços para poder escrever.
A categoria faz parte do 21º Concurso Anual de Caligrafia dos Estados Unidos. O prêmio para alunos com deficiência foi criado no ano passado com o nome de um estudante (Maxim Nicholas) que também não tinha as mãos e usava o antebraço para escrever. Nicholas impressionou os juízes o suficiente para que eles criaram uma nova categoria para alunos com deficiência.
Anne foi premiada na categoria de letras de forma/imprensa. O vencedor de melhor caligrafia em letra cursiva foi Remiel Colwill, estudante da quinta série da escola St. Mary Magdalene, em Eastlake, Ohio. Remiel tem uma deficiência visual. Ele e Anne ganharam um troféu e um prêmio de US$ 1 mil para cada.

Postado por:
Bruna Sonaly Diniz Bernardino
Graduanda do 6º Período em Pedagogia - UFCG
Bolsista do Programa de Educação Tutorial - PET

sexta-feira, 20 de abril de 2012

“Há escolas que são gaiolas. Há escolas que são asas” (Rubem Alves)




Escolas que são gaiolas existem para que os pássaros desaprendam a arte do vôo. Pássaros engaiolados são pássaros sob controle. Engaiolados, o seu dono pode levá-los para onde quiser. Pássaros engaiolados sempre têm um dono. Deixaram de ser pássaros. Porque a essência dos pássaros é o vôo.
Escolas que são asas não amam pássaros engaiolados. O que elas amam são os pássaros em vôo. Existem para dar aos pássaros coragem para voar. Ensinar o vôo, isso elas não podem fazer, porque o vôo já nasce dentro dos pássaros. O vôo não pode ser ensinado. Só pode ser encorajado.



Postado por:
Jéssica Rodrigues de Queiroz
7° período
Graduanda de Licenciatura em Pedagogia - UFCG
Bolsista do Programa de Educação Tutorial - PET


quinta-feira, 19 de abril de 2012

Destino do PIB - 2011 no Governo Dilma





Seria possível ter Educação pública, gratuita e de qualidade em todo o país dessa maneira?

                                                                Fonte - Acesso em 20/04/2012.

Postado por:
Laís Venâncio de Melo
Graduanda de Licenciatura em Pedagogia - UFCG
Bolsista do Programa de Educação Tutorial - PET


Olimpíadas Rio de Janeiro 2016




                                                        
                                                                                                                
                                                                                                      
Fonte - Acesso em 19/04/2012.

Postado por:
Laís Venâncio de Melo
Graduanda de Licenciatura em Pedagogia - UFCG
Bolsista do Programa de Educação Tutorial - PET

sábado, 14 de abril de 2012

Facebook lança o "Groups for Schools"



     Síntese:"Groups for Schools" é uma ferramenta de grupos para alunos, escolas e professores do Facebook. Seu objetivo é formar uma rede social ligada a cada instituição, com destaque para o compartilhamento de informações usadas em sala de aula.


      O Facebook lançou na última quarta-feira (11/04) o Groups for Schools, uma ferramenta especial para escolas e alunos que permite a criação de grupos específicos na rede social. Por enquanto, a ferramenta está restrita aos EUA e para participar, os estudantes devem provar que estão matriculados em algum colégio ao fornecer um e-mail ".edu" - usado pelas instituições naquele país. O objetivo do serviço é formar uma rede social ligada a cada escola, com destaque para o compartilhamento de informações usadas em sala de aula - é possível enviar arquivos de até 25 MB. De acordo com o Ars Technica, apenas professores e alunos atualmente matriculados podem utilizar a nova função - ou seja, ex-alunos estão de fora. Além disso, quando um estudante se forma, ele é automaticamente removido do grupo. Assim como em outros grupos do Facebook, um administrador deve convidar os membros. Existem três opções: aberto (qualquer pessoa pode ver quem está no grupo e postar no mural), fechado (todo mundo consegue ver quem está no grupo, mas apenas os membros podem postar), e secreto (apenas os membros podem ver que o grupo existe e quem está nele). Vale lembrar que o Groups for Schools ainda não está disponível no Brasil, e está sendo testado apenas pelas escolas nos EUA. Contudo, ele já pode ser acessado para quem deseja saber mais informações.

Para acessar o Grupo no Facebook, clique aqui!

 Fonte - Acesso em 14/04/2012


Postado por:
Laís Venâncio de Melo
Graduanda de Licenciatura em Pedagogia - UFCG
Bolsista do Programa de Educação Tutorial - PET


III COBESC


Maiores informações acessem: http://www.cobesc.com.br/

sexta-feira, 13 de abril de 2012

PARTICIPANTES DO I SePPEC, ENCERRA-SE NESTE DOMINGO 15/04/2012 O PRAZO PARA ENVIO DE TRABALHOS

Nossa bolsa?


Além da atenção da bolsa, nós PETianos pedimos atenção MEC! Cada evento, planejamento, estudos, reuniões, estamos lá pensando o PET e suas contribuições individuais (bolsistas) e coletivas (graduação), e quando observamos o MEC muitas vezes esquece de nós, fazendo com que o Programa perca sua essência e identidade. Não queremos um tutor/vigia, mas um cumprimento e reconhecimento a altura das atividades por nós desenvolvidas. 



Postado por:
Pâmella Tamires Avelino de Sousa
Graduanda de Licenciatura em Pedagogia - UFCG
Bolsista do Programa de Educação Tutorial - PET


quarta-feira, 11 de abril de 2012

CARTA À SOCIEDADE BRASILEIRA

Brasil, 9 de abril de 2012.
 
A Campanha Nacional pelo Direito à Educação, rede que articula mais de 200 entidades e organizações distribuídas por todo o país e que tem incidido na construção do novo PNE (Plano Nacional de Educação), considera fundamental o envolvimento – ainda que tardio – da área econômica do Governo Federal no debate sobre o novo plano educacional.
No entanto, considera preocupante o fato de os parlamentares integrantes da Comissão Especial do PL 8035/2010 (PNE) irem nesta terça-feira, 10/4, até o gabinete do Ministro da Fazenda, Guido Mantega, para discutir o financiamento da educação (meta 20 da proposta do PNE), em vez de recebê-lo em Audiência Pública, aberta a toda a sociedade.
Demandado pelo artigo 214 da Constituição Federal de 1988, o PNE tramita no âmbito do Congresso Nacional, sendo esse o espaço deliberativo do novo Plano. É também o Legislativo, por dever e natureza, o poder mais afeito à participação social, devendo, inclusive, promovê-la.
Nesse sentido, após inúmeras audiências públicas e reuniões técnicas, tanto na Câmara dos Deputados, quanto em quase todas as Assembleias Legislativas do país e em diversas Câmaras de Vereadores, tornou-se consenso de que o Brasil precisa de um patamar de investimento público equivalente a 10% do PIB na educação pública. Especialistas em financiamento da educação, movimentos sociais, entidades educacionais, trabalhadores, gestores municipais e estaduais têm clareza dessa necessidade.
O mesmo consenso é verificado entre os deputados da Comissão Especial. Tanto é assim que, em um universo de 3364 emendas ao PL 8035/2010 - 2915 ao texto original e 446 à primeira proposta de substitutivo do relator, deputado Ângelo Vanhoni (PT-PR) - apenas uma propõe um patamar inferior aos 10% do PIB. No entanto, a reunião restrita com Mantega, nas dependências do Ministério da Fazenda, impossibilita a defesa pública do consenso, que está fortemente embasado por estudos técnicos. Um deles é o Comunicado 124 do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) de 14 de dezembro de 2011, intitulado “Financiamento da educação: necessidades e possibilidades”.
Como exemplo positivo, na época da tramitação do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação), o então Ministro da Fazenda, Antonio Palocci, discordava da inclusão das creches naquele que se tornaria o fundo de financiamento de toda a educação básica e dizia ser inviável a participação financeira da União no mecanismo contábil. Contudo, em uma Audiência Pública na Câmara dos Deputados, diante dos bons argumentos dos parlamentares e da pressão da sociedade civil, Palocci começou a se sensibilizar e a mudar de opinião. Como resultado, as creches hoje compõem o Fundeb e a União colabora com mais de R$ 9,4 bilhões com o conjunto do fundo.
É com base nesse exemplo que a Campanha considera imprescindível que a Comissão Especial do PNE leve Mantega para debater a matéria publicamente, inclusive como um sinal republicano de respeito do Poder Executivo perante o Poder Legislativo e a sociedade civil brasileira.
A Campanha Nacional pelo Direito à Educação, de acordo com o disposto no artigo 214 da Constituição Federal, acredita que o novo PNE é a ferramenta capaz de planificar a educação brasileira de modo que o país comece a recuperar, nesta década, parte do tempo perdido. Os prejuízos causados pelos vetos empreendidos pelo presidente Fernando Henrique Cardoso ao PNE anterior (2001-2010), que, infelizmente, não foram derrubados pelo Congresso Nacional no curso dos dois mandatos do presidente Lula, ainda ecoam na fragilidade da educação pública. Viabilizar o patamar de investimento equivalente a 10% do PIB em educação pública é um importante e urgente primeiro passo. E, para concretizá-lo, é imprescindível assegurar que a discussão em torno do tema continue acontecendo no âmbito do Congresso Nacional, de portas abertas, de forma democrática e participativa. Que a Comissão Especial não deixe de levar Mantega à Câmara dos Deputados e que Mantega compreenda a importância de sua participação no debate.
Comitê Diretivo da Campanha Nacional pelo Direito à Educação
Ação Educativa
ActionAid
CCLF (Centro de Cultura Luiz Freire)
Cedeca-CE (Centro de Defesa da Criança e do Adolescente do Ceará)
CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação)
Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança e do Adolescente
Mieib (Movimento Interfóruns de Educação Infantil do Brasil)
MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra)
Uncme (União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação)
Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação)

domingo, 8 de abril de 2012


Além da Páscoa, Hoje é o dia do Livro Infantil


 "O Brasil é um país com histórico recente quanto à apreciação e trabalho com a leitura de Literatura Infantil. Em nosso contexto, a literatura infantil teve início a partir do século XIX, com a Imprensa Régia, quando predominaram algumas traduções e adaptações das obras européias. Com a proclamação da República, o país se tornou mais urbano surgindo a necessidade de formar um público melhor instruído. Esse processo modificou-se em 1921, com a publicação do livro A menina do narizinho arrebitado, de Monteiro Lobato, a qual se caracteriza pela preocupação com o respeito às características do leitor criança. Até o final dos anos 60, pouco de criativo surgiu, sendo apenas durante o regime militar que a Literatura Infantil ganhou força, por ser uma forma de expressar as repressões sofridas pela ditadura. A partir das décadas de 70 e 80 até os dias atuais, observamos uma larga produção de obras, havendo a necessidade de um olhar crítico sobre essa produção.

A leitura de literatura infantil proporciona as crianças desenvolvimento emocional, sensitivo, auxiliando também na compreensão do mundo, uma vez que estes são textos que não se prestam a ensinar conteúdos escolares, sua finalidade não é prática e imediata, mas propiciam a fantasia e uma apreciação sensitiva que promove o crescimento intelectual através do prazer. Segundo Azevedo (1999):

A literatura utiliza a ficção (fala da verdade inventada e não ocorrida de fato), a linguagem poética (que costuma ser lúdica, conotativa, ambígua, está preocupada com o ritmo, com a sonoridade, pode inventar palavras, usar trocadilhos etc.), tem como objetivo fundamental a motivação estética (portanto a diversão, o prazer) e ainda representa uma subjetiva especulação, não uma lição, sobre o exercício da existência. p.86

Muitos autores que escrevem e ilustram a natureza infantil devem ser referenciados, tais como: Ziraldo, Eva Furnari, Cecília Meireles, Lalau e Laura Beatriz e muitos outros"...   



REFERÊNCIAS
SOUSA. Pâmella Tamires Avelino de, LEITE. Tatiana de Oliveira, VASCONCELOS. Fabíola Cordeiro de. Proposta de ensino e leitura de um livro literário: Formação de leitores autônomos, críticos e reflexivos. Campina Grande/PB -2011.

AZEVEDO, Ricardo. Livros didáticos e livros de literatura: chega de confusão! In.: Presença Pedagógica. v.5 n. 25. janeiro-fevereiro 1999.

AGUIAR, Vera Teixeira de (coord.) et al. Era uma vez... na escola: formando educadores para formar leitores. Belo Horizonte; Formato Editorial, 2001. (Série Educador em Formação).

FARIA, Maria Alice.  Articulação do Texto com a Ilustração. In.: Como usar a literatura infantil na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2004. – (Coleção como usar na sala de aula)

LIMA. Graça. O universo fascinante dos signos. In.: A alma da imagem: A ilustração nos livros para crianças e jovens na palavra de seus criadores / Lucia Pimentel Góes (orgs.) – São Paulo: Paulus, 2009. – (Coleção Pedagogia e educação)




Postado por:
Pâmella Tamires Avelino de Sousa
Graduanda de Licenciatura em Pedagogia - UFCG
Bolsista do Programa de Educação Tutorial - PET


sexta-feira, 6 de abril de 2012



Postado por:
Micaelle Ribeiro do Nascimento
Graduanda de Licenciatura em Pedagogia - UFCG
Bolsista do Programa de Educação Tutorial - PET

quinta-feira, 5 de abril de 2012

O que você pensa?


Postado por:
Juliana Vasconcelos de Andrade
Graduanda de Licenciatura em Pedagogia - UFCG
Bolsista do Programa de Educação Tutorial - PET


Tatue o PET  na alma: vá a LUTA!


Fonte: http://petbrasil08.blogspot.com.br/



Postado por:
Pâmella Tamires Avelino de Sousa
Graduanda de Licenciatura em Pedagogia - UFCG
Bolsista do Programa de Educação Tutorial - PET

terça-feira, 3 de abril de 2012

Passarinho no Sapé - Poesia de Cecília Meireles


"Se eu gosto de poesia? Gosto de gente, bichos, plantas, lugares, chocolate, vinho, papos amenos, amizade, amor. Acho que a poesia está contida nisso tudo." Carlos Drummond de Andrade


Passarinho no Sapé

P tem papo
o P tem pé.
É o P que pia?
(Piu!)
Quem é?
O P não pia:
O P não é.
O P só tem papo
e pé.
Será o sapo?
O sapo não é.
(Piu!)
É o passarinho
que fez seu ninho
no sapé.
Pio com papo.
Pio com pé.
Piu-piu-piu:
Passarinho.
Passarinho
no sapé.
(Cecília Meireles, 1987, p. 104)





          Cecília Meireles: poetisa e jornalista. Considerada umas das maiores escritoras brasileiras, com mais de 50 obras, além disso foi professora de línguas, literatura, música, folclore e teoria educacional.


Fontes: Poesia
             Breve Biografia


Laís Venâncio de Melo
Graduanda do 3° Período em Pedagogia-UFCG
Bolsista do Programa de Educação Tutorial-PET


PARA QUE SERVE A ESCOLA???

ESTUDO ERRADO - GABRIEL, O PENSADOR.


Eu tô aqui Pra quê?
Será que é pra aprender?
Ou será que é pra sentar, me acomodar e obedecer?
Tô tentando passar de ano pro meu pai não me bater
Sem recreio de saco cheio porque eu não fiz o dever
A professora já tá de marcação porque sempre me pega
Disfarçando, espiando, colando toda prova dos colegas
E ela esfrega na minha cara um zero bem redondo
E quando chega o boletim lá em casa eu me escondo
Eu quero jogar botão, vídeo-game, bola de gude
Mas meus pais só querem que eu "vá pra aula!" e "estude!"
Então dessa vez eu vou estudar até decorar cumpádi
Pra me dar bem e minha mãe deixar ficar acordado até mais tarde
Ou quem sabe aumentar minha mesada
Pra eu comprar mais revistinha (do Cascão?)
Não. De mulher pelada
A diversão é limitada e o meu pai não tem tempo pra nada
E a entrada no cinema é censurada (vai pra casa pirralhada!)
A rua é perigosa então eu vejo televisão
(Tá lá mais um corpo estendido no chão)
Na hora do jornal eu desligo porque eu nem sei nem o que é inflação
- Ué não te ensinaram?
- Não. A maioria das matérias que eles dão eu acho inútil
Em vão, pouco interessantes, eu fico pu..
Tô cansado de estudar, de madrugar, que sacrilégio
(Vai pro colégio!!)
Então eu fui relendo tudo até a prova começar
Voltei louco pra contar:
Manhê! Tirei um dez na prova
Me dei bem tirei um cem e eu quero ver quem me reprova
Decorei toda lição
Não errei nenhuma questão
Não aprendi nada de bom
Mas tirei dez (boa filhão!)
Quase tudo que aprendi, amanhã eu já esqueci
Decorei, copiei, memorizei, mas não entendi
Quase tudo que aprendi, amanhã eu já esqueci
Decorei, copiei, memorizei, mas não entendi
Decoreba: esse é o método de ensino
Eles me tratam como ameba e assim eu não raciocino
Não aprendo as causas e conseqüências só decoro os fatos
Desse jeito até história fica chato
Mas os velhos me disseram que o "porque" é o segredo
Então quando eu num entendo nada, eu levanto o dedo
Porque eu quero usar a mente pra ficar inteligente
Eu sei que ainda não sou gente grande, mas eu já sou gente
E sei que o estudo é uma coisa boa
O problema é que sem motivação a gente enjoa
O sistema bota um monte de abobrinha no programa
Mas pra aprender a ser um ingonorante (...)
Ah, um ignorante, por mim eu nem saía da minha cama (Ah, deixa eu dormir)
Eu gosto dos professores e eu preciso de um mestre
Mas eu prefiro que eles me ensinem alguma coisa que preste
- O que é corrupção? Pra que serve um deputado?
Não me diga que o Brasil foi descoberto por acaso!
Ou que a minhoca é hermafrodita
Ou sobre a tênia solitária.
Não me faça decorar as capitanias hereditárias!! (...)
Vamos fugir dessa jaula!
"Hoje eu tô feliz" (matou o presidente?)
Não. A aula
Matei a aula porque num dava
Eu não agüentava mais
E fui escutar o Pensador escondido dos meus pais
Mas se eles fossem da minha idade eles entenderiam
(Esse num é o valor que um aluno merecia!)
Íííh... Sujô (Hein?)
O inspetor!
(Acabou a farra, já pra sala do coordenador!)
Achei que ia ser suspenso mas era só pra conversar
E me disseram que a escola era meu segundo lar
E é verdade, eu aprendo muita coisa realmente
Faço amigos, conheço gente, mas não quero estudar pra sempre!
Então eu vou passar de ano
Não tenho outra saída
Mas o ideal é que a escola me prepare pra vida
Discutindo e ensinando os problemas atuais
E não me dando as mesmas aulas que eles deram pros meus pais
Com matérias das quais eles não lembram mais nada
E quando eu tiro dez é sempre a mesma palhaçada
Encarem as crianças com mais seriedade
Pois na escola é onde formamos nossa personalidade
Vocês tratam a educação como um negócio onde a ganância, a exploração, e a indiferença são sócios
Quem devia lucrar só é prejudicado
Assim vocês vão criar uma geração de revoltados
Tá tudo errado e eu já tou de saco cheio
Agora me dá minha bola e deixa eu ir embora pro recreio...
Juquinha você tá falando demais assim eu vou ter que lhe deixar sem recreio!
Mas é só a verdade professora!
Eu sei, mas colabora se não eu perco o meu emprego.



Tatiana de Oliveira Leite
Graduanda do 7° Período em Pedagogia-UFCG
Bolsista do Programa de Educação Tutorial-PET

Antonio Gramsci

Todo Estado é uma ditadura.