sábado, 28 de janeiro de 2012


Habitante de outra galáxia
aceita corresponder-se com um menino do planeta azul.
O mundo desse habitante é todo feito de vento e cheira jasmim.
Não há fome nem há guerra e, nas tardes perfumadas,
as pessoas passeiam de mãos dadas e costumam rir à toa.
Nessa galáxia ninguém faz a morte, ela acontece naturalmente como o sono depois da festa.
Os habitantes não mentem e por isso seus olhos brilham como riachos.
O habitante de outra galáxia aceita trocar selos e figurinhas e pede ao menino que encha os bolsos de esperanças, e não só os bolsos, mas também as mãos e os cabelos, a voz o coração, que a doença do planeta azul ainda tem solução.

Roseana Murray





Postado por:
Pâmella Tamires Avelino de Sousa
Graduanda de Licenciatura em Pedagogia - UFCG
Bolsista do Programa de Educação Tutorial - PET




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antonio Gramsci

Todo Estado é uma ditadura.