quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

A corda sempre arrebenta do lado mais fraco



Responsabilidade Docente

Inicialmente, sem educação não há futuro. Quem disse não existe educação? Depende do conceito empregado e principalmente da intencionalidade política e ideológica desta educação. Sem professor não há educação. Pois bem, ser professor não é uma vocação divina surreal, exige esforço, estudo, coragem, sempre! Assim se deriva, sem qualificação não há professor. E sem querer ser negativista, mas critico, vamos analisar também quais são os espaços de formação continuada, que lugares são esses? Quem fornece essa formação? Quem são as pessoas que “preparam” outras pessoas para “ensinarem/educarem” crianças, adolescentes e adultos.
Ser Professor indica uma série de responsabilidade que se inicia na formação, desde a preocupação com a filosofia, sociologia, economia, história, cultura, psicologia, política, artes, linguística, e etc. sobre conhecer seu país, quais as estruturas determinantes e qual papel estas impulsionam para a educação. Além disso, tem a preocupação em sala de aula, você lida com pessoas, com sujeitos em desenvolvimento que te demonstram a todo instante vontade de aprender de conhecer de viver, e se o Professor tem disponível o material para realizar essa tarefa, não se preocupe que ele juntará a sua capacidade e a todo o ensinamento construtivista que ele ouviu durante anos na universidade. Material escolar, e também o salário que lhe confere diante de tal responsabilidade. Afinal, o médico, o advogado, o engenheiro, e etc. passa sim pelas mãos do Professor, da Escola, do Gestor, da Merendeira, Supervisora, Psicólogo, Vigia, estão todos lá, são todos sujeitos que influencia e participam da educação. Educação não se restringe ao espaço da sala de aula.
Mas, se a responsabilidade essencial é do Professor, me diga Quem conduz a educação nacional? Quais as políticas que norteiam a educação? Qual sua intencionalidade? Quem investe na educação? E aí, quanto investe? Para que? Tem certeza que esse investimento ta sendo feito de maneira correta? Quantas vezes esse responsável ai por mandar o investimento visitou a escola? Será que houve desvio?
Acredita-se que o Brasil é o país do futuro, onde tudo se pode acontecer. Realmente, se não for levado sempre na camaradagem do “jeitinho brasileiro”. Tem que investir na formação? SIM, Tem que melhorar o salário? SIM, Tem que auxiliar a escola? SIM, tem muitas coisas a serem feitas, além de apenas avaliar a educação e tentar elevar níveis conforme dados de outros países. O Brasil é um país singular, e deve ser considerado conforme suas peculiaridades. É necessária uma educação que não padronize os sujeitos. Confuso se até mesmo as diretrizes nacionais são padronizações.
Sempre existirão perguntas de como melhorar a educação. Porém o caminho não é culpar o Professor, ele não é o único responsável pela educação, ou qualidade do ensino. As diretrizes, os Referenciais, os modelos de educação poucas vezes passa por suas mãos, poucas vezes os conhecem. O problema da educação brasileira é séria e realmente sem cuidado não evoluirá. Para isso precisa mudar as práticas negativas herdadas de coronelismo, influencia, nepotismo, que aflige todo o cenário brasileiro, inclusive a Educação, então pensá-la como um problema isolado tratável a doses homeopáticas não é o caminho. Muito menos responsabilizar apenas o Professor.





Postado por:
Pâmella Tamires Avelino de Sousa
Graduanda de Licenciatura em Pedagogia - UFCG
Bolsista do Programa de Educação Tutorial - PET

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antonio Gramsci

Todo Estado é uma ditadura.