segunda-feira, 13 de julho de 2015

MEC aprova criação de Mestrado em Educação na UFCG

inicialmente serão 15 vagas ofertas em duas linhas de pesquisa.

 
A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) recomendou a criação do Mestrado Acadêmico em Educação da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). A proposta da Unidade Acadêmica de Educação da UFCG foi avaliada durante reunião do Conselho Técnico-Científico da Educação Superior, realizada nos dias 18 e 19 deste, em Brasília.
 
O parecer da Capes destacou o comprometimento da instituição com o financiamento do curso até que tenha condições de captar recursos junto às agências de fomento e considerou que a universidade tem infraestrutura adequada e que priorização a expansão da pós-graduação no seu Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) e na proposta Reuni.
 
Com área de concentração em Educação, o mestrado oferecerá 15 vagas em duas linhas de pesquisa: "História, Política e Gestão Educacionais" e "Práticas Educativas e Diversidade".  O corpo docente será formado, inicialmente, por onze professores permanentes - com perfil e atuação na área de Educação -envolvidos institucionalmente com a proposta  e reconhecidos por suas pesquisas e publicações.
 
A provação do Mestrado em Educação constitui-se como uma necessidade acadêmico-científica e um impositivo ético-político para a UFCG, considerando a consciência que a instituição possui de seu papel na produção e socialização do conhecimento e na formação acadêmico-profissional, visando a transformação social e educacional e o desenvolvimento regional e nacional.
 
De acordo com a professora Andréia Ferreira, coordenadora da comissão que elaborou a proposta, a criação do Mestrado é resultado de um esforço coletivo dos professores da unidade acadêmica, da direção do Centro de Humanidades e da reitoria. "O que revela o amadurecimento do corpo docente, na produção do conhecimento e na inserção nacional", ressaltou a coordenadora, afirmando que surgirá um novo ambiente acadêmico que viabilizará ainda mais a circulação e o intercâmbio de conhecimentos.
 
A professora Fernanda Leal, coordenadora administrativa da unidade acadêmica e integrante da comissão, ratificou o esforço coletivo e lembrou que a proposta aprovada é fruto da composição trabalhada nos últimos quatro anos, por outras comissões.  
 
"Historicamente, a unidade acadêmica tem contribuído com a formação de professores para atuarem na Educação Básica, sobretudo na Educação Infantil e nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Agora, damos um passo além - podendo investir sistematicamente na formação de pesquisadores, que pensarão e investigarão a realidade educacional estadual, regional e nacional, em diferentes", comentou.
 
(Ascom/UFCG  - 29.06.15)

 

Disponível em: www.ufcg.edu.br



 Postado pelo grupo PET-Pedagogia UFCG

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antonio Gramsci

Todo Estado é uma ditadura.